Nancy Bellei

Autoridade em infecções respiratórias, a cientista explica por que a falta de leitos e de acesso ao remédio criou uma taxa “absurda” de letalidade no Brasil.

(…)

ISTOÉ – As autoridades de saúde estão preocupadas com o uso amplo do Tamiflu porque poderia contribuir para a resistência ao medicamento. Como vê esse cuidado?

Nancy – Essa é uma das questões mais equivocadas nessa história. A resistência tem duas formas. Uma delas independe do uso de antivirais. O vírus Influenza muda e de uma hora para outra pode se tornar reresistente em países onde ninguém usou o remédio. O segundo mecanismo é a seleção. Quando você toma a droga, mata os vírus sensíveis, mas, se tiver um resistente e isso é uma loteria , ele pode se multiplicar e ser transmitido. O fato é que o vírus resistente, que já apareceu em vários países, pode chegar aqui do mesmo jeito. Por isso, não usar para controlar a resistência é um engano. Devemos, sim, utilizar com critério e monitorar a resistência. (IstoÉ – Leia aqui)

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.